Domingo, 27 de Janeiro de 2008

Ante-estreia (4) - Demian Cabaud

 

Naranja

(Tone of a Pitch / Dargil)

1. Musica para Cordon 2; 2. Grounding;

3. Evanescente; 4. Naranja; 5. Olha;

6. Curioso; 7. The Painter

 

Quinteto de Demian Cabaud

Demian Cabaud (contrabaixo); Ohad Talmor (sax-tenor); Phil Grenadier (trompete); Leo Genovese (piano); Gerald Cleaver (bateria)

 

Gravação: Maggie' s Farm

3 de Novembro de 2006

________________________________________

                                               
Diz-me com quem andas…
 
Vão-se sucedendo um pouco por todo o mundo –  até em virtude dos laços de estreita colaboração e amizade entre músicos de nacionalidades diferentes que viram os seus caminhos cruzar-se  – obras discográficas que, mesmo sendo muito diferentes entre si, apresentam como traço comum uma vontade de rebeldia, mais ou menos acentuada ou perceptível, em relação a um statu quo há muito instalado que insiste na constante reprodução de um discurso musical estreito e único na área do jazz.
 
É certo que algumas dessas obras não escondem certas fragilidades ou inconsequências. Mas soam muitas vezes bem mais prometedoras do que tantas outras que se comprazem em apenas apresentar receitas de êxito seguro, porque incapazes de arriscar para além do que é mais familiar e consensual.
 
Pois hoje é com gosto que vos falo de Naranja, o álbum do contrabaixista argentino Demian Cabaud que está prestes a chegar às lojas (porventura nesta semana que entra) e que conta com a prestigiada colaboração de músicos de primeiríssimo plano, como o saxofonista francês Ohad Talmor, do trompetista Phil Grenadier e do baterista Gerald Cleaver  (ambos norte-americanos)  e ainda do pianista  (também argentino)  Leo Genovese, um disco agora editado pela independente portuguesa Tone of a Pitch. Veja-se, só, esta tão diversa e conjugada confluência de vontades!
 
Tratando-se, embora, do primeiro álbum liderado por Demian Cabaud editado em Portugal –  ele que aqui está radicado desde 2004, fazendo já parte integrante e activa da cena do jazz português  –, o facto é que Naranja não só se me afigura um disco em geral imune às ditas fragilidades, assim surgindo bem consequente nos seus propósitos, como ainda escolhe o caminho menos fácil para enfrentar o «mercado», apostando num discurso musical exigente e polivalente, que recusa caminhos fáceis e seguros de emissão e recepção.
 
Do ponto de vista temático, seria possível esperar-se  (dadas as origens de Cabaud) a assumpção de alguns traços identitários da sua própria cultura. Interessante é constatar, entretanto, que o contrabaixista-compositor recusa de uma forma natural  (nesta obra discográfica em concreto)  a evidência desse tipo de matriz cultural e embora por vezes pareçam ecoar em certas peças alguns traços implícitos de uma espécie de habanera  (Naranja)  ou de um bolero  (Curioso), aquilo que poderia tornar-se um lugar comum deixa imediatamente de o ser, já que uma tal via de facilidade é claramente contrariada. Sendo isto também verdade, por exemplo, para o lado só moderadamente evocativo de Musica para Cordon 2.
 
A já referida peça Curioso é, aliás, paradigmática dos pressupostos de composição e improvisação subjacentes a este CD de Demian Cabaud. O que nos é dado ouvir é uma interessantíssima justaposição  (como que em camadas de sinal contrário)  de eventos musicais que se entrelaçam ou se repelem. Ao escutarmos a forma dialéctica pela qual a exposição do tema desta peça ou a improvisação de sax-tenor contrastam claramente com o acompanhamento subterrâneo e «tresmalhado» da secção rítmica;  ou ao descobrirmos a «divergência» entre o solo livre e fragmentado do piano e a afirmação insistente, explícita e simultânea das notas do tema por parte do sax-tenor e do trompete  –, é como se estivéssemos perante a ambivalência entre a vontade de assumir uma estrutura e o desejo irreprimível de  (ao mesmo tempo)  a contestar.
 
Ainda em termos de composição, parece-me também sintomática da reflexão sobre uma modernidade não datada e intemporal a influência que julgo notar  (por exemplo em Grounding ou Evanescente)  de um compositor modelar, como é Wayne Shorter, sendo o modo pastoso e escorregadio de Ohad Talmor improvisar inteiramente adequado a este mundo conceptual.
                                                                                                                                       
Phil Grenadier, Demian Cabaud, Gerald Cleaver, Ohad Talmor, Leo Genovese
 
Mas este disco é também singular  (e feliz)  pelo que de «composição espontânea» existe no largo espaço deixado livre por Cabaud aos seus companheiros. Ohad Talmor –  já conhecido dos amadores de jazz portugueses  – não surpreende pela sua  invenção. Do mesmo modo, Gerald Cleaver e a sua capacidade de tomar iniciativa  (ouça-se Evanescente, por exemplo), vai sendo uma visita frequente dos nossos palcos em diversos contextos instrumentais. Mas Leo Genovese será, porventura, a revelação para muitos ouvidos, evidenciando qualidades brilhantes e demonstrando como a modernidade de um Jason Moran vai fazendo caminho. Quanto a Phil Grenadier, impressionaram-me menos as suas intervenções individuais, parecendo-me um músico muito mais feliz e assertivo quando se trata de interagir e replicar dentro do colectivo.    
 
Tornou-se hoje um hábito (que já assume traços de banalidade) a multiplicação de agradecimentos que os músicos fazem uns aos outros nos encartes dos CDs que lançam a público. Mas no caso de Naranja os agradecimentos de Demian Cabaud aos seus amigos e companheiros são particularmente justos                     (e justificados) já que, independentemente de uma firme ideia de liderança, inerente à personalidade de autor que o contrabaixista aqui deixa patente, este disco não seria o que é sem o contributo criativo dos seus pares.
 
Bem-haja a todos, portanto!
                                                                                                                       

 
Publicado por Manuel Jorge Veloso o_sitio_do_jazz às 18:54
Link para este post

Área pessoal

Pesquisar neste blog

 

Outubro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Relógio

Posts recentes

Para memória futura

Bernardo Sassetti (1970 ...

E no entanto ele move-se....

Ao vivo... Adam Rogers & ...

Em directo, do Village Va...

11 de Fevereiro de 2012

Depois da reabertura, a r...

Vídeos recentes (made in ...

A redonda celebração do G...

A redonda celebração do G...

Visionamentos...

Primeira audição

Consta por aí...

Jazz em Newport (2011)

Os 20 anos do Jazz no Par...

Serralves: já lá vão dua...

Intervalo (11)

Intervalo (10)

Intervalo (09)

Intervalo (08)

Intervalo (07)

Intervalo (06)

Intervalo (05)

Intervalo (04)

Intervalo (03)

Intervalo (02)

Intervalo (01)

Quem não se sente...

Sempre!

"Um Toque de Jazz" em Fev...

Arquivos

Outubro 2014

Maio 2012

Abril 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Tags

achados no baú

achados no baú (14)

achados no baú (15)

achados no baú (16)

achados no baú (17)

achados no baú (18)

achados no baú (19)

achados no baú (20)

achados no baú (21)

achados no baú (22)

achados no baú (23)

achados no baú (24)

achados no baú (25)

animação

ante-estreias

ao vivo

àpartes

arquivos

artigos de fundo

balanços

blogs

boas festas

bónus de verão

cinema

clubes

colectâneas

concertos

concertos internacionais

concertos portugueses

cooncertos

dedicatórias

descobertas

desenhos

directo

discos

discos em destaque

discos estrangeiros

discos nacionais

distribuidoras

divulgação

documentos históricos

editoras

editoriais

editorial

efemérides

em directo

ensino

entrevistas

escolas

escutas

férias

festivais

fotografia

gravações ao vivo

grupos estrangeiros

história

história afro-americana

homenagens

hot clube

humor

internet

intervalos

jazz

jazz ao vivo

jazz no cinema

leituras

links

live stream

livros

mp3

música sinfónica

músicos

músicos estrangeiros

músicos internacionais

músicos portugueses

músicos residentes

músios estrangeiros

natal

novos discos

obras-primas

pavões

pessoas

podcasts

portugal

prémios

primeira audição

produtores

produtores estrangeiros

r.i.p.

rádio

recursos

reedições

televisão

um bónus de verão

um toque de jazz

video-clip

vídeos

village vanguard

visionamentos

visitas

todas as tags

Links

Subscrever feeds